sábado, 1 de setembro de 2012

COM CRISTO NO BARCO

O SENHOR NOS CHAMOU PARA SERMOS DIFERENTES DA MULTIDÃO
MARCOS 6: 49 – “MAS, QUANDO ELES O VIRAM ANDAR SOBRE O MAR, PENSARAM QUE ERA UM FANTASMA E DERAM GRANDES GRITOS”
Amigos leitores do BLOG PALAVRA A SÉRIO, A PAZ DE NOSSO SENHOR JESUS!  Hoje tens uma mensagem na qual o Senhor vai falar ao nosso coração.
Jesus havia operado o milagre da multiplicação dos pães. A multidão estava satisfeita com o pão que haviam comido, por isso quando Jesus se revelava como o PÃO DA VIDA, saiam em retirada dali. A palavra sobre o espiritual e o profético gerou contenda.
Mas Jesus chamou os seus discípulos e os direcionaram para o barco, assim ficaram separados da multidão que ia se despedindo.
No verso 47 do capítulo 6 o Evangelho nos diz que os discípulos ficaram a sós no barco (Jesus saíra para orar), mas a hora já se fazia avançada, era a quarta vigília da noite e os ventos eram contrários. O momento era de cansaço e desespero.
Havia ainda um fator que pesava para a incredulidade desses: eles ainda não haviam entendido o milagre dos pães.
Bem, amados, a Palavra vai nos ensinar em primeira mão que:
Deus nos chamou para uma OBRA ETERNA e nos quer diferentes da multidão.
Eles foram para o barco. O Senhor nos quer em seu projeto, longe da mentalidade religiosa que impera nas multidões.
Ele mesmo nos separou para um trabalho. Este trabalho não é fácil. Viver o EVANGELHO não é para o tímido e temeroso. Viver uma OBRA ETERNA não é viver o que esse Cristianismo moderno ensina. Não é ordenar bênçãos e buscar a riqueza, pois assim faziam as multidões que seguiam o Mestre de Israel.
O Senhor nos chamou para sermos servos, separados, diferentes do mundo, porém cheios de luz, cheios de conteúdo, não para vivermos como nuvens que se deslocam de uma parte para outra sem direção.
Jesus disse: “tereis aflições”, mas ELE garantiu: “tende bom ânimo, EU venci o mundo”.
O vento era contrário, lutavam contra a correnteza; cansados e afadigados.
Os discípulos estavam na terceira vigília da noite (entre as 3:00 e 6:00 horas), nesse período o sono é mais intenso e profundo, pois o corpo se manifesta  mais cansado.
Ser servo é matar a carne todo o dia. É negar  toda a plenitude da razão humana para viver o plano de Deus, é dizer: “não mais vive eu, mas CRISTO vive em mim”!
As lutas estão aí, são nossas a cada dia. Não estamos privados dela. A provação e o vale é a marca do SERVO de DEUS nesse mundo. Os que não sabem o que é viver em provação, verdadeiramente, nunca foram servos.
Os discípulos poderiam ter pensado: “ora, ele operou uma multiplicação de pães, por que aqui nessa situação estamos”? Poderiam pensar que estavam sozinhos e abandonados pelo Senhor. Eles não haviam compreendido o milagre da multiplicação.
Muitas vezes em nossas lutas e nas provas diárias em nossa vida como SERVOS do Altíssimo questionamos: “porque o ímpio é abençoado”? “porque o irmãozinho que nunca se firma na salvação alcança suas bênçãos”?
Os discípulos mesmo podiam ter perguntado uns aos outros: “Ele curou a muitos e livrou a tantos, porque estamos aqui”?
O Senhor nos chamou para sermos embaixadores de um reino eterno, não para gozarmos das virtudes dessa vida. Ele nos prova porque para nós a recompensa é maior do que a multidão pode receber.
 A multidão não tem identidade com Jesus. A multidão recebe sua benção no domingo e desaparece durante a semana toda, mas o servo não, esse está sempre ao lado de seu Senhor (mesmo na prova).
A multidão quando precisa se joga aos pés de Senhor, mas quando vem a bonança se retira para viver sua vida terrena e sem perspectiva eterna. Mas o servo luta, ora, jejua, se consagra, madruga, sofre as aflições de Cristo, sofre as aflições do outro, perde amigos nessa vida, é ignorado por familiares por causa do Evangelho, é exposto como vergonha, etc. Enfim, o SERVO serve.
Jesus apareceu sobre as águas e ficaram apavorados: “é um fantasma”!
A OBRA do Senhor é maravilhosa, mas depende de como a vemos.
Será que vemos fantasmas também? Será que durante a provação não enxergamos a Cristo? Será que na hora da dúvida, o pastor não presta? O louvor não é bom? Tudo está morto? Tudo é fantasma (algo sem identidade)? O Evangelho e o projeto eterno do Senhor não é mais o mesmo? Virou religião, tradição, rito, fábulas e futilidades gospels?
Enquanto a multidão (tipo da religião) estava em casa dormindo o seu bom sono, os discípulos (a igreja) estavam no mar bravo com ventos contrários.
Irmãos, nada nesse mundo é a favor de nossa fé. Tudo está corrompido e intenta a nos tragar para as coisas terrenas. O mar quer nos afogar.
Na OBRA do SENHOR estamos em serviço, não temos lugar de descanso aqui neste mundo.
“[...] as raposas tem covis, e as aves do céu, ninhos, mas o Filho do Homem não tem onde reclinar a cabeça” (Lucas 9:58)
Temos identidade com Jesus ou com este mundo? Se temos identidade com Jesus, também não temos onde reclinar a cabeça aqui nesta terra. Viver o projeto do Senhor é, portanto, remar contra as correntezas (e os ventos sempre são contrários).
“Sabe porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos” (2Timóteo 3:1)
Os ventos contrários atingem nossa mente de tal forma que interfere na nossa vida espiritual. Os discípulos estavam exatamente nesta situação: Jesus havia surgido ali, mas ainda estavam envoltos pela fábula e pela limitadíssima percepção de um ser humano cansado e aflito.
“No demais, irmãos meus, fortalecei-vos no Senhor e na força de seu poder”( Efésios 6:10)
O que devemos fazer então? Como receber a benção nesta condição? Como entender a OBRA do Senhor? Como discernir a operação do Senhor no nosso meio e não nos tornarmos apáticos?
Primeira atitude: Obedecer a vontade de Deus, escutar a voz do Mestre e crer em sua PALAVRA (viver sua Palavra).
No verso 50 Jesus diz: “Tende bom ânimo, SOU EU, não temais”
O Senhor tem dito isso a você no momento de sua aflição. Tem ouvido? Tem crido?
Os discípulos talvez, em meio à dúvida e cansaço, pensaram que Jesus os abandonara ali. Pensaram que estavam sós. Não sentiram a presença do Mestre.
Quando, na nossa luta, Jesus se revela, nasce uma esperança.
Os corações dos discípulos estavam endurecidos, pois a luta e a incredulidade faz isso. A razão e a dúvida produz endurecimento e resistência.
Mas a palavra para nós é: Não temas! Por quê? Porque SOU EU! Quando Moisés se viu numa situação complicada perante o Senhor na experiência da sarça, perguntou à Deus: O que direi a Faraó? Quem me enviou? Será que vou ter crédito? Deus disse: fale apenas que  EU SOU te enviou! Já bastava!
Qual a profundidade de nossa luta? Qual o tamanho de nossa aflição? O Grande EU SOU está conosco. Aleluia!
“aquietai-vos e sabei que sou Deus”(Salmo 46;10)
Poderíamos estar em vários lugares como a multidão está. Isso é certo. Mas o Senhor não nos chamou para sermos como a multidão. Nos chamou para sermos diferentes.
“Portanto, se já resuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima” (Colossenses 3:1);
“[...] guarda o bom depósito que em ti foi confiado[...]”(1 Timóteo 6:20);
“Tu, pois, filho meu, fortifica-te na GRAÇA[...]” (2 Timóteo 2:1);
“Sofre pois comigo as aflições de Cristo” (2 Timóteo 2:3);
“Ninguém que milita se embaraça com negócios desta vida, a fim de agradar àquele que o alistou para a guerra” (2 Timóteo 2:5).
Bem, servir ao Senhor na bonança é fácil, temos que concordar. Mas sejamos servos de Deus aptos para a boa obra, seja essa qual for ou quando for.
Pedro certa vez quis saber: “Deixamos tudo para te servir, o que ganharemos”? Jesus não exultou em responder: ganharão 100 vezes mais e ainda muito mais na ETERNIDADE.
No momento que o vento era contrário ninguém viu o Mestre, mas este estava perto.
Irmãos, na hora da luta, por mais que a nossa condição humana nos impeça de ver a mão de Deus, ali ela está. Sua destra é conosco.
Jesus estava perto de seus discípulos e, no momento certo, Ele interviu.
A frase “não temas” está em toda a Bíblia 365 vezes: isso significa que o Senhor tem um “não temas” para cada dia nosso.
Jesus pode entrar no seu barco agora e tomar conta da situação? Tenha uma experiência com Ele!
Lembre-se, fomos batizados com o Espírito santo para vermos o Senhor presente e real em nossas vidas. Jamais pode ser um “fantasma”.
Apenas quando eles saíram do barco é que reconheceram  a Jesus. Mas, tudo bem, já era dia e tudo estava sob controle.
A luz da revelação te fará ver o rosto do mestre e reconhecê-lo como o seu Senhor, amigo e ajudador.
“OLHA, POIS, AGORA, PORQUE O SENHOR TE ESCOLHEU PARA EDIFICARES UMA CASA PARA O SANTUÁRIO; ESFORÇA-TE E FAZE A OBRA” (1 Cr 28:10)
Que o Senhor nos abençoe com esta palavra em nome de Jesus!
Gabriel Felipe M. Rocha

5 comentários:

tamarafranca29@hotmail.com disse...

Que blog é esse meuu Deus! Maravilha! Muito bom. Amei de paixão as postagens, são riquíssimas em essência. Deus os ilumine mais e mais. Tamara

Gabriel Felipe disse...

Obrigado, Tamara! Tudo é para a honra e a glória de Jesus Cristo, nosso Senhor! Continue conosco!

Anônimo disse...

OLHA, POSTAGEM EXCELENTE,VIU! QUE DEUS LHE CONCEDA MAIS REVELAÇÃO DE SUA PALAVRA. JOÃO B. LAERTE

Gabriel Felipe disse...

Obrigado! O blog Palavra a Sério é um blog bom, o Senhor tem nos alegrado com aquilo que postamos..!

Leninha disse...

Mensagem maravilhosamente bem passada, o conteúdo do blog realmente é muito bom.Divulgue-o mais, seria um desperdício não divulgar o blog tanto, pois há tantas imundíces"cristãs" a solta por aí, mas o blog de vcs tem uma identidade com a palavra do rei. Parabens. Helena Martins