sexta-feira, 19 de outubro de 2012

COMPRA A VERDADE E NÃO A VENDAS (2º PARTE)


(2º PARTE)

“Compra a verdade e não a vendas; sim, a sabedoria, e a disciplina, e a prudência” (Provérbios 23:23)

Obs. É importante ler a primeira postagem (acima) para que todo o conteúdo seja assimilado. Paz!

Vimos na primeira parte desta postagem a respeito da Sabedoria, disciplina, obediência e prudência. Agora seguiremos numa análise desses mesmos itens, porém pensados a partir do homem (como criatura limitada).

·        Sabedoria = razão humana- formação de conceitos terrenos. Ciência limitada;

·        Disciplina= religiosa; congregacional, conceitos do homem, normatividades humanas;

·        A disciplina está estreitamente ligada à obediência= quase inexistente – Vive conforme seu próprio ego. Insensibilidade á voz do Espírito Santo;

·        Prudência = Anulada pela desobediência, inconstância, indisciplina e pela ausência de sabedoria. Veja na “parábola das dez virgens”: Só quem tem o azeite reserva pode manter sua candeia cheia (presença do Espírito Santo) e, só pela presença do Espírito em si que o noivo (Jesus) vai reconhecer a sua verdadeira esposa (a prudente). A prudente discerniu o momento (de trevas- profecia) e se preparou enchendo-se de azeite (discerniu a benção que há no sangue de Jesus, o Espírito Santo derramado).

 

O DIREITO DE NEGAR

“[...] o que mete comigo a mão no prato, esse há de trair” (Mateus 26:23)

Jesus sabia que seria traído, mas aguardou o momento certo. O Senhor sabe de todas as coisas, tudo está em suas mãos. Ele sabe quem vai ser fiel ou não, mas ele nos permite escolher. Ele permite alguns acontecimentos, mas tudo para o nosso aprendizado e, um desses aprendizados é: JAMAIS CONFIAR NO HOMEM, inclusive, o que confia no homem é tido por maldito. A queda espiritual de alguns faz parte de nossa caminhada nessa OBRA maravilhosa (2Tm :4/ 1Tm 1:20) . Muitos vão prosseguir, muitos vão cair pelo caminho e olhar para trás (1Tm 5:15).

 

Leia cada item com atenção:

 

·        No texto acima, Jesus realizara a última ceia com seus discípulos;

·        Por um costume em Israel, era o pai ou patriarca da família (chefe da casa) que deveria partir o pão, ninguém mais;

·        A ceia tinha como objetivo a comemoração da páscoa. O momento era, assim como em Êxodo, de saída;

·        Todos os elementos da páscoa estavam agora suprassumidos e condensados na figura do PÃO e VINHO;

·        Jesus mostrava ali que: A sua Obra teria um fundamento no Corpo e no Sangue (fatores fundamentais e responsáveis por todo o restante);

·        Jesus partiu o pão, pois Ele é o Cabeça da Igreja;

·        Pão = tipo de seu corpo;

·        Quando Jesus parte o pão, ele não fere o Corpo (igreja), mas divide ministérios, dá dons espirituais e nos confere tarefas e serviços em sua Obra;

·        Jesus é quem distribui o cálice- Quando se participa do Corpo, se discerne o sangue como recurso essencial para vitória. O ápice do Êxodo era o sangue.

·        Ali na ceia Jesus revelava que seria traído e preso.

·        Havia um costume nas ceias de Israel: Só se assentava ao lado do chefe da casa aqueles que eram mais íntimos do pai ou patriarca.

·        Interessante que Pedro não estava perto, estava longe. Quando Jesus falava que um discípulo ali havia de traí-lo, Pedro fez um sinal para João (que estava perto) pedindo que esse perguntasse para o Mestre: “quem de nós há de trair”?

·        Jesus responde: “aquele que colocar comigo a mão no prato”;

·        Judas é quem colocou a mão no prato;

·        Essa atitude de Judas revelou vários sinais de queda espiritual: irreverência, desobediência, para ele Jesus não era Senhor e Pai, perdeu o sentido de hierarquia e, principalmente, não discerniu o pão (Corpo) e vinho (Sangue);

·        Judas queria partir o pão também- Feriu o CORPO. Profanou o  SANGUE;

·        Muitos que saem do nosso meio têm já seus alvos preferidos: o SANGUE e o  CORPO- Falam da doutrina do clamor pelo sangue e atacam o Corpo de Cristo (a Igreja).

·        Quando se fere o corpo, escorre o sangue - A primeira atitude desses que atacam o projeto eterno de Deus (sua obra) é expor a doutrina do sangue. É, inclusive, o primeiro alvo dos apóstatas;

·        Os Judas estão por aí. Querem ferir o Corpo, querem expor o sangue;

·        Judas era tesoureiro = sua ocupação estava em garantir valores terrenos e comida perecível. Esses que saem da Obra do Espírito Santo, tem suas vidas voltadas para as suas próprias concupiscências; Vivem um evangelho na letra, um evangelho terreno; a comida é sempre perecível. Não provém do Corpo.

·        Mas Jesus quando divide o pão, multiplica a benção. Essa é a experiência que têm seus servos em sua obra = abundancia de bênçãos.

·        Interessante: Se Judas levou junto com Jesus a mão no prato, Judas estava ao lado de Jesus na mesa. Os que se colocam contra essa obra maravilhosa, um dia experimentaram da intimidade e da honra do Senhor e foram participantes da benção que há no sangue de Jesus, se encheram um dia de seu Espírito Santo. Mas simplesmente negam tudo!

 

“Pequei, traindo sangue inocente” (Mateus 27:4)

 

Quem se levanta contra a obra do Espírito Santo, trai o sangue derramado na cruz (Espírito Santo). Trai, portanto, Jesus, negando seu ato sacrifical.

Judas sabia quem tinha traído.  “Pequei, traindo sangue inocente”- Ele, para falar da traição, mencionou o sangue: Conheceu o projeto, mas negou.

 

·        Mas Pedro também negou a Jesus! E aí? Sim, ele negou, porém Pedro o negou antes do pentecostes. Pedro, antes do derramamento do sangue de Jesus (antes de receber a benção do Espírito Santo selada pelo pentecostes), era um homem inconstante, mas, depois do pentecostes, se tornou um homem remido (pelo sangue) e jamais negou tal obra, mas pelo contrário, foi um vaso de honra.

 

Divergência doutrinária

 

1º - Clamor pelo sangue de Jesus – Quando o apostata se volta contra a obra do Espírito, a primeira coisa que faz é parar de clamar pelo sangue de Jesus, pois fazer menção desse sangue é clamar por vida. O sangue é expressão de vida. O homem sem o Espírito santo, é puramente carnal e morto espiritualmente.

Negam os sangue como doutrina e levantam a tese que o sangue como doutrina é heresia, mas se esquecem que o sangue está como um fio (um fio de escarlata) ligando toda a Palavra de Gênesis a Apocalipse.

·        Uma curiosidade: Em Apocalipse (cap. 2 e 3), a Palavra de Deus nos mostra que a Igreja de Jesus tem sete fases proféticas (histórico-profética);

·        Para cada fase houve uma ênfase. Houve ênfase e advertência para o determinado momento profético;

·        Hoje, no momento que antecede a vinda de Jesus, a ênfase é: MARANATA! Uma advertência para o mundo. Momento da saída  da Igreja Fiel. Sem o sangue, não há saída. O que aconteceu no Êxodo de Israel foi profeticamente endereçado ao grande Dia do Senhor: Volta de Jesus e juízos sobre a Terra.

·        Em todas as fases, a presença do sangue era indispensável, mas para nós (Igreja do arrebatamento) o sangue é indispensável.

·        Lutero, no tempo da Reforma Protestante, conta em sua biografia que, enquanto traduzia a Bíblia para o alemão, teve uma visão espiritual onde via o adversário escrevendo num quadro uma acusação contra Lutero, dizendo que o mesmo era indigno de servir a Deus, pois era um homem pecador. Lutero respondeu com o seguinte texto: “Se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros e o SANGUE de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado” (1João: 1:7)

 

2°- Dons Espirituais- resultado da presença viva do Espírito correndo no Corpo. Onde há vida de Deus, há presença real de Deus. O apóstata quando nega o projeto não precisa mais dos dons espirituais em sua vida, pois  caminha sozinho, tem sua própria razão. (É desobediente, não precisa mais ouvir a voz do Espírito Santo, pois negou a aficácia do poder do sangue de Jesus).

3º- Consulta à Palavra/ Palavra Revelada- Negaram o Espírito Santo em suas vidas, negaram também os benefícios de seu poder. Agora eles têm a bíblia à luz da tradição religiosa, eles têm a letra. Dizem que a Palavra de Deus jê é revelada (engano)- ela é inspirada, só o E.S. quem a revela, pois Ele é quem inspirou.

 

A oposição da Igreja mediante os apóstatas

 

·        Não devemos nos calar. Há vitoria no sangue de Jesus e essa verdade nós vamos proclamar;

·        Deixaremos Judas seguir o seu caminho e continuaremos firmes em nosso vivo caminho;

·        Continuaremos a obra como assim fizeram os apóstolos;

Resultado:

 

·        O fiel se fortalece e sobe;

·        O covarde foge: se esconde nos e-mails, pseudônimos, sites, etc;

 

 

Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que por tradição recebestes dos vossos pais, Mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado” (1Pedro 1:18,19)

 

Gabriel Felipe M. Rocha

 

2 comentários:

Anônimo disse...

A análise da Ceia de Jesus e os discipulos ficou fantástica, me senti dentro da história. Parabens meu irmão. Abner

Ester Mirian disse...

Muito bom e esclarecedor! Na revelação da palavra!!