sexta-feira, 19 de outubro de 2012

COMPRA A VERDADE E NÃO A VENDAS


“Compra a verdade e não a vendas; sim, a sabedoria, e a disciplina, e a prudência” (Provérbios 23:23)

"Χωρίς αίμα δεν γίνεται άφεσις" (Εβρ. 9: 22)
"Sem o sangue não há remissão" (Hebreus 9:22)

O senhor tem realizado uma obra em nosso meio que, se torna difícil expressá-la com uma simples postagem num blog. Obra tal que se contarmos aqui em detalhes, provavelmente não teríamos o crédito de algumas pessoas (principalmente no meio ‘evangélico’).

Numa outra postagem, podemos até explicitar tal obra, mas já adiantamos que ela é um resultado de profecias relacionadas ao tempo profético que antecede a vinda gloriosa do Senhor Jesus. Neste projeto eterno que o Espírito Santo nos revela, temos nos preparado para sair (o momento é sério). A hora de deixar este Egito está chegando. Os sinais estão aí (como as pragas do Êxodo). Nesse momento crucial para a Igreja Fiel de Cristo, temos descoberto (através do Espírito Santo) a importância do SANGUE (o sangue de Jesus, um projeto eterno e condensado em toda a Palavra de Deus). Quando falamos “Sangue”, fazemos menção do simbolismo que há no sangue (derramamento do Espírito Santo para uma OBRA específica) e não falamos de um sangue humanamente biológico.

“Sem o sangue não há remissão” (Hebreus 9:22)

“Bem aventurados aqueles que lavam as suas vestiduras no sangue do Cordeiro, para que tenham direito à árvore da vida e possam entrar na cidade pelas portas” (Apocalipse 22: 14)

“Ora, o Deus de paz, que pelo seu sangue do concerto eterno tornou a trazer dos mortos a nosso Senhor Jesus Cristo, grande pastor das ovelhas, vos aperfeiçoe para toda boa obra, para fazerdes a sua vontade...” (Hebreus 13:20,21).

Para cada fase histórica da Igreja, Deus levantou uma ênfase profética, mas em todas elas houve a presença (indispensável) do sangue. Porém, na ultima fase da Igreja, a ênfase profética é “MARANATA, O Senhor Jesus vem” (uma advertência para o mundo). Mas, para sair, é necessário estar inserido num projeto eterno simbolizado pelo “sangue”. Esse projeto é a Obra do Espírito Santo (em uma próxima oportunidade entraremos nesse tema).

Falamos sobre a Obra do Espírito Santo e a importância do sangue (um projeto eterno), mas qual a relação do  texto em provérbios com tal projeto?

Algumas pessoas já viveram essa Obra, fizeram uso dos recursos da GRAÇA soberana, foram já iluminados no Batismo com o Espírito Santo, receberam dons espirituais, discerniram a doutrina do Corpo de Cristo, partilharam das mesmas experiências com um Deus vivo e que fala intimamente com seu povo por intermédio da operação exclusiva do Espírito Santo, de variadas formas e, principalmente, pela Palavra Vivificada.

Porém tais pessoas saíram desse projeto e venderam (trocaram) essa verdade por outra “verdade”. Bem, isso não é problema para nós, pois temos a riqueza contida em nossa essência da livre escolha e, ela se torna soberana pelo fato do próprio Deus não interferir na mesma.

Mas o problema é: Indivíduos saem dessa obra tão maravilhosa e se dispõem para ataques e refutações contra esse projeto (muitas vezes sem fundamentação). O primeiro alvo de ataques é o Sangue como uma doutrina e a primazia que damos ao “sangue” quando oramos com ousadia conforme nos ensina a carta aos Hebreus. Eles têm um sério problema com o sangue. Seus atos se resumem em ataques.

·        Ataques: operação do erro por parte de alguns apóstatas (que estiveram inseridos no mesmo projeto espiritual em que estamos) que, na maioria das vezes são movidos por ódio religioso e ressentimentos variados. Seus ataques têm como fundamento o protestantismo histórico ou tradição religiosa histórica. Se intitulam “defensores da verdade”, mas na verdade refutam uma Obra que está condensada em toda a Palavra de Deus e, que jamais se discerne na letra, mas no espírito.

·        Alvo dos ataques: a MENTE. Confira na postagem “A Mente” http://www.palavraserio.blogspot.com.br/2012/10/a-mente.html

·        Objetivo dos apóstatas com seus ataques: Desestruturar a vida espiritual dos verdadeiros servos do Senhor Jesus, disseminando mentiras e engano com o intuito de gerar descrédito e questionamento no meio desses.

·        Temos que lembrar que tais apóstatas são meros instrumentos do inimigo de nossa alma. São pessoas que se encheram de Satanás indo após ele.

“Do que desviando-se alguns, se entregaram a vans contendas” (1Tm 1:6)

·        Paulo adverte a Igreja que a luta é plenamente espiritual. Então jamais iremos entrar em questões com apóstatas, mas sim vigiarmos em oração fazendo uso dos recursos da Graça disponibilizados pelo Espírito Santo nessa Obra. O momento é sério! Estamos prestes a sair do Egito! Não podemos nos apostatar da fé. Revistamo-nos das armas da luz, principalmente o sangue, pois sem o sangue não há, indiscutivelmente, remissão. O sangue é a premisse de todos os recursos da graça, pois Ele é o próprio capacitar do Espírito para a realização de toda a obra.

 

·        Qual é o conselho do Senhor mediante a tudo isso?

Voltando ao texto base (Provérbios 23:23):

·        “Compra a verdade”- Qual o sentido? Verdade +JESUS (o caminho, a VERDADE e a vida);

·        “compra”- Um negócio bilateral (dar e receber); uma troca de valores. Para se comprar algo, é necessário dar algo, oferecer (dispor) de um valor. O Senhor não precisa de nenhum valor financeiro e material do homem, mas Ele pede o nosso coração (a nossa entrega total). V. 26- “Dá-me, filho meu, o teu coração”.

·        Um ato recíproco- Reciprocidade nem sempre se define como “troca”, mas é um gesto intersubjetivo- uma relação de Deus com o homem (algo que Deus resgatou através do SANGUE). Entregamos-nos a Ele, reconhecemos sua misericórdia através do sacrifício de Jesus (o derramamento de seu sangue), cremos nesse ato como um ato para a nossa remissão e Ele nos confere, por sua GRAÇA abundante e soberana, a garantia de vida eterna.

·        Alguns questionadores de plantão irão dizer: “Mas se é recíproco anulou-se a graça”. É porque não discerniram a graça de Deus. A Graça está no ato de salvar e eleger o homem para essa salvação, mas, logo após o chamado (manifestação dessa graça imanente na história e revelada ao homem eleito), a relação desse eleito para com o Deus soberano se dá pela fé e, a manutenção dessa fé ( fé espiritual e não humana) só se dá pelo relacionamento  criatura- Criador. Então há reciprocidade.

·        Uma ligação por amor (um fio profético que liga o homem a Deus presente em toda a Bíblia)- Resultado de um projeto. Tal projeto se manifestou ao homem na figura do sangue (de Gênesis a Apocalipse).

·        “Não a vendas”- Desvalorização da Verdade na vida de alguns. Queda espiritual e apostasia. Negociar a verdade é negociar o projeto. É sair da reciprocidade com o Senhor Deus e, agora, manter uma relação com o outro homem. Uma relação terrena (interesses terrenos).

·        “Compra a verdade e não a vendas; sim, a sabedoria, e a disciplina, e a prudência” (Pv. 23:23)

·        Sabedoria-  Do Espírito Santo. (Revelação de um projeto). Quem “compra” a verdade, recebe a Sabedoria –

·        Sabedoria = a palavra no original hebraico usada nesse versículo é: hokhmah  (substantivo feminino- num bom sentido) – Habilidade, experiência, sagacidade. O ponto alto desta palavra e seu conceito é alcançado em Provérbios 8:22-31. O momento profético em que estamos inseridos exige uma vida espiritual sagaz e vigorante. Não podemos nos perder no caminho. A hora é de saída. O sangue de Jesus, a saber, o Espírito Santo é quem nos garante essa habilidade, capacidade e sagacidade para caminharmos firmes nesse projeto eterno. Quem compra a verdade (se relaciona com o Senhor), recebe esse vigor. Esse vigor foi garantido na cruz.

·        Disciplina-  Corpo, fé, doutrina- A capacidade e a experiência que obtemos para caminhar nesse projeto só se encontra no Corpo de Cristo, pois é lá que corre o sangue. “Comprar a verdade” é, portanto, viver essa doutrina- Numa só mente, um só coração, um só Espírito, Deus e Senhor.

·         A disciplina está estreitamente ligada á obediência- Santificação- Obedecer à voz do Espírito Santo é santificação. Moisés (um tipo do Espírito Santo) revelou qual era a vontade do Senhor: Tirar o povo. A vitória do povo de Israel esteve em ouvir a revelação de um projeto, inclusive, o ponto auge desse projeto foi o “sangue”.

·        Prudência- Vigilância – Para o momento que antecede a saída, a vigilância se torna um de nossos aliados. Há uma advertência: “Maranata”! A nossa diferença para com o mundo está exatamente na vigilância. Veja a “Parábola das Dez Virgens”.

( a 2º parte desta postagem segue abaixo)

Gabriel Felipe M. Rocha

5 comentários:

Anônimo disse...

Sua articulação de Provérbios 23:23 com a doutrina do sangue ficou brilhante, meu irmão. É preciso, sem expor a Obra do Senhor, explicar mais sobre essa doutrina, uma vez que são poucos os que conhecem e compartilham desse segredo eterno. Mas ficou tudo dentro dos conformes. Que Deus possa te conferir muito mais dos segredos de sua palavra. Fica meu abraço e minha saudação. A paz do Senhor Jesus. Abner Freire

Gabriel Felipe disse...

Obrigado,Abner! Olha, eu creio que está sim bem explicado. Detalhes dessa benção maravilhosa que é o sangue de Jesus é só vivendo memo. De experiência a experiência. A paz!

Danielle disse...

Amados, se uma pessoa orar lembrando-se do sangue como um ato de misericórdia e redenção, precisa mencionar a palavra "sangue", como um rito indispensável, ou pode se achegar a Deus apenas mencionando a misericórdia de Jesus na cruz e seu ato remidor? Não sou contra a oração onde se diz "pelo sangue...", mas apenas queria saber se realmente se torna necessário dizer "sangue" como se fosse uma senha, ou algo do tipo... Danielle P.

p.mf disse...

Muito boa, mas nada superá a fé em Cristo Jesus, fora disso é mais um um doutor na praça, mas o que importa é estar neste caminho.

Gustavo disse...

Irmã Danielle, agradecemos sua participação; quanto à sua pergunta , vejo que isto é um ato de fé e de experiência particular com Deus. Lembrar a misericórdia de Jesus na cruz e seu ato remidor é mencionar o derramar do seu sangue, que é muito mais simples do que dizer tantas coisas que são sinônimas deste ato.
“Tendo pois, irmãos,ousadia para entrar no santuário, pelo sangue de Jesus,pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou pelo véu,isto é, pela sua carne” (Hebreus 10:19-20).
Portanto, se a Bíblia nos direciona a entrar na presença de Deus assim, não há necessidade de complicar a simplicidade e eficácia da Palavra de Deus.
Espero poder ter ajudado; e continuamos à disposição para falar sobre a Palavra de nosso Deus.
Continue participando!A Paz do Senhor Jesus!