domingo, 28 de agosto de 2011

HERESIAS CATÓLICAS 1


Heresias católicas,você as conhece?


“Ele, porém, respondendo, disse-lhes: E vós, por que transgredis o mandamento de Deus por causa da vossa tradição?” – Mateus 15.3
INTRODUÇÃO:
Muitos cristãos protestantes não se preocupam muito em estudar sobre o catolicismo romano. O principal motivo parece ser que os católicos, de forma geral, não são muito preparados para defender a própria fé. Além disso, grande parte daqueles que se dizem católicos é na verdade apenas “nominalmente”; ou seja, não são praticantes – o que significa que não conhecem muito da doutrina de Romana.

No entanto, o próprio clero romano tem percebido estes fatos e atualmente muito esforço tem sido feito para tornar os católicos mais aptos a defenderem sua fé. O alvo da Igreja Católica é produzir no coração de seus fiéis uma espécie de “avivamento”. Assim, não devemos esperar que todos os católicos estejam despreparados. Um grande esforço neste sentido pode ser notado no que chamamos de “Renovação Carismática”. Este movimento tem feito levantar uma nova geração de católicos; uma nova geração disposta e preparada para defender seus dogmas humanos.


I – A IGREJA CATÓLICA ROMANA
O que a Igreja Católica Apostólica Romana ensina sobre si mesma aos seus fiéis?

1. Afirma Ter Sido Fundada Por Cristo. Evidente que a Igreja Cristã foi fundada por Jesus; no entanto, seria verdade que a Igreja Católica foi fundada por Ele?
Tal alegação pode ser facilmente rebatida à luz da história. Pode-se falar de “Igreja Católica Romana” apenas a partir do Sexto Século. A Seu Credo moderno só foi formulado por volta do século XV quando o Papa Pio IV pegou o Credo Niceno e adicionou suas crenças a ele, em 1564 [no Concílio de Trento, para se opor à Reforma].


2. Afirma ser a Igreja Verdadeira. Em outras palavras ela ensina ser a única Igreja Verdadeira na face da Terra!
Mas, a luz das Escrituras, qual seria a Igreja Verdadeira? É aquela formada por todos que têm verdadeiramente recebido a Cristo como Salvador pessoal e “nascido do alto” (Joa 3:3) qualquer que seja a denominação. Todos estes são “dados pelo Pai” a Cristo.
Ter a Vida Eterna não está ligado a pertencer a uma Igreja específica; mas sim, o pertencer a Cristo: Joa 17:3,24; 1Cor 12:13.


3. Afirma ser a portadora da “Santa Sé”! Muitos não sabem o que isso significa. Resumidamente quer dizer que acreditam que apenas eles possuem a Suprema Autoridade; são eles que possuem o Sucessor de Pedro (o Papa); e é a única Igreja fundada por Jesus Cristo.
Alguns problemas sobre tais alegações:

3.1. – A Igreja Católica Romana é produto de um processo histórico que se seguiu à suposta conversão do Imperador Constantino. Não existia tal Igreja nos dias dos apóstolos! Como ela pode, então, ter sido fundada por Jesus?

3.2. – Também não existe qualquer prova de que Pedro tenha sido Bispo de Roma. Segundo as Escrituras, Cristo o chamou para ser apóstolo dos JUDEUS.
Os católicos alegam que a Igreja Verdadeira é a que possui um “Papa” como sucessor de Pedro. Em primeiro lugar, como vimos, não existe qualquer prova de que Pedro tenha sido Papa ou Bispo em Roma. E também vale apenas lembrar que Pedro identifica Cristo como sendo a Pedra sobre a qual a Igreja de Deus foi fundamentada: O próprio Pedro interpreta Mat 16:18 em 1Ped 2:4-6. Pedro confessou a Cristo como Filho de Deus. A igreja é fundada NESTA rocha. Veja também Efe 2:20.


II – OS CATÓLICOS E A SALVAÇÃO
Como alguém pode ser salvo segundo o ensino da Igreja Católica? Neste tópico procuraremos entender o que o catolicismo ensina sobre a salvação.

1. Acreditam na Regeneração-Batismal. Ou seja, eles acreditam que o Batismo é o meio pelo qual o cristão entra na nova vida e se torna participante do Novo Nascimento. Para eles, o batismo não é uma figura do Novo Nascimento, o batismo É o Novo Nascimento.
No entanto, segundo o Novo Testamento, o cristão se submete ao batismo como prova ou resultado de sua salvação, e não para ser salvo: Atos 2:41; Atos18:8; Atos 8:12, 36-38.

2. Acreditam numa Justificação Pelas Obras. Para eles Jesus não garantiu a nossa salvação na cruz do Calvário. Afirmam que Jesus apenas disponibilizou a salvação tornando-a possível. Mas ser salvo é algo que depende daquilo que nós fazemos para agradar a Deus. Ou seja, uma salvação mediante as obras. Infelizmente este conceito também é compartilhado por muitos que se dizem evangélicos.

Segundo a Bíblia ninguém pode obter a salvação por seus próprios méritos: it 3:5-6; Efe 2:8-9; Gal 3:10-11. Veja também Rom 4:5; 2Tîm 1:9; Rom 11:6; Gal 2:21. Nenhum ser humano jamais poderia merecer a vida eterna ou os céus.
A Bíblia ensina que as nossas obras de forma alguma poderiam nos justificar diante de Deus. Não importa o qual “bondoso” alguém seja, não podemos nos auto-justificar perante Deus: Luc 16:15; Gal 2:16.

3. Acreditam na Necessidade do Purgatório. Jesus, eles dizem, nos garante a libertação do Inferno; mas não do sofrimento purificador do purgatório. Como os crentes morrem com algum “pecado pendente”, eles precisam ir ao purgatório para se purificar por meio de sofrimento.
Nem sempre se acreditou na doutrina do Purgatório; tal idéia foi introduzida no catolicismo perto do sexto século; e só foi promovido a artigo de fé em 1439 pelo Concílio de Florença. Poderia a Igreja ter demorado tanto para descobrir uma doutrina verdadeira?


III – ADORAÇÃO A MARIA?

É comum ouvirmos um católico mais “exaltado” nos acusar de não gostarmos de Maria, a mãe de Jesus Cristo. Mas isso passa longe da verdade. Os protestantes não nutrem qualquer sentimento contrário a esta santa mulher; contudo, nos recusamos a dar a ela qualquer honra que não tenha sido ordenada pela Palavra de Deus.
Algumas honras que os católicos concedem a Maria jamais podem ser encontradas e defendidas a luz das Escrituras. Alguns exemplos:

1. Maria Imaculada. Esta expressão significa que Maria teria sido concebida sem pecado e que, em toda a sua vida, viveu sem qualquer tipo de pecado. Para os católicos existem duas pessoas que viveram neste mundo sem pecado: Jesus e Maria.
Mas isso não se diz em lugar algum da Bíblia! Uma pessoa que não tenha pecados não carece de um Salvador; entretanto, Maria reconhece que Deus era o seu Salvador (Lucas 1.47). Ora, se ela não tinha pecado Deus precisava salvá-la do quê?
Alguns católicos que dizem que Maria precisa ser sem pecado para que seu filho, Jesus, pudesse nascer sem pecado. Alegam que se Maria tivesse pecado Jesus não poderia ter nascido sem pecado.

Mas a teoria católica gera dois problemas:

a) Se Jesus não pudesse nascer sem pecado a menos que Maria também não tivesse pecado, como foi que Maria conseguiu nascer sem pecado? Se a teoria católica estiver certa então é necessário dizer que houve uma linhagem de Mulheres Imaculadas até os dias de Eva!!

b) Em segundo lugar, a Bíblia diz que Jesus nasceu santo porque a “sombra do onipotente” cobriu Maria na hora da concepção: “Virá sobre ti o Espírito Santo, e o poder do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra; E POR ISSO o que há de nascer será chamado, santo, Filho de Deus!”(Lucas 1.35).


2. Maria Onipotente. Alguns atributos divinos são atribuídos pelos católicos a Mãe de Jesus. Mas ao lermos os Evangelhos percebemos que ela era um ser humano normal, como todos os outros – e, como os demais, dependente da Graça de Deus: Luc 1:46,49; Luc 2:22.
Além de ser onipotente, Maria no catolicismo romano ainda precisa ser onisciente, já que diariamente milhões de pessoas no mundo inteiro lhe dirigem orações simultâneas.


3. Maria Co-Redentora. Atualmente os católicos estão pedindo que o Papa oficialize Maria como sendo Co-Redentora dos salvos. Ou seja, Jesus não é o único Redentor – Maria também participa desta função!

O leitor mais simples das Escrituras rapidamente percebe o disparate de tal pretensão; no entanto, muito esforço tem sido feito no mundo inteiro para que tal título [que já existe] seja reconhecido de forma oficial.

Um site da Igreja Católica trás a seguinte declaração: “Na verdade podemos dizer que Maria participou ativamente da obra realizada pôr Cristo, pois ela viveu aquilo que Cristo viveu. Maria participou das graças que são frutos da Redenção de Cristo. Ela foi historicamente uma ativa colaboradora da Redenção de Cristo, pois até hoje continua ativamente na interseção”.

Mas a Bíblia joga por terra esta heresia diabólica. A Bíblia ensina que JESUS foi aquele que efetuou a nossa Redenção:
“E, visto como os filhos participam da carne e do sangue, também ele participou das mesmas coisas …” (Hebreus 2:14-16).
“Porque não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; porém, um que, como nós, em tudo foitentado, mas sem pecado”. (Hebreus 4:15).
“Eu sou o bom Pastor; o bom Pastor dá a sua vida pelas ovelhas. … Ninguém ma tira de mim, mas eu de mim mesmo a dou; tenho poder para a dar, e poder para tornar a tomá-la …” (João 10:11, 18).
“Porque é impossível que o sangue dos touros e dos bodes tire os pecados. … Sacrifício e oferta não quiseste, Mas corpo me preparaste; … Eis aqui venho (No princípio do livro está escrito de mim), Para fazer, ó Deus, a tua vontade”. (Hebreus 10:4-10).
A Igreja de Cristo não tem e não precisa de nenhum outro redentor!


CONCLUSÃO:

Existem muitos outros pontos do Catolicismo que merecem uma abordagem mais detalhada como a Missa e outros Sacramentos. Mas devido ao espaço nos fizemos uma seleção das doutrinas que podem ser de mais utilidade na hora evangelizar um católico romano.

Lembrando sempre que o alvo jamais deve ser o de demonstrar conhecimento ou envergonhar quem quer que seja; mas sim, unicamente exaltar a Palavra de Deus e anunciar o Evangelho da Salvação.

TEXTO DE GABRIEL FELIPE

BLOG PALAVRA A SÉRIO

7 comentários:

ATELIER CORES E FORMAS disse...

MUITO LINDA MENSAGEM,QUE JESUS TE ABENÇOE.BOA SEMANA.BJUS FÁTIMA

Gabriel Felipe disse...

Obrigado !!!!! Uma ótima semana chia de bençaos e na paz do Senhor Jesus !!!!

Anônimo disse...

MUITO BOM MEU FILHO, CONTINUE LEVANDO A VERDADE, CONFORME O SENHOR NOS ORDENOU.

Anônimo disse...

AMO A DEUS. E MINHA IGREJA É CATOLICA. E RESPEITO TODAS. GOSTARIA DE TER RESPEITO COM A MINHA TBM.

Gabriel Felipe disse...

Gabriel Felipe disse...

a questão é o seguinte, senhor católico anonimo : Tudo bem se voce ama a Deus na Igreja Catolica Ap. Romana....porem , só não sei qual deles ....pois são muitos deuses ali dentro e varios intercessores alem de Cristo.

DEIXO CLARO O SEGUINTE: Esse post não é para ofender, mas para relatar heresias de sua instituição....se eu estiver errado ...aceitarei correção mediante à comprovaçoes biblicas....OBRIGADO.

Gabriel Felipe disse...

AOS MEUS CRÍTICOS!


Quando faço alguma crítica à ICAR, logo vem um católico ou irmão evangélico tentando defendê-la, taxando-me de "deficiente no amor ao próximo", inclusive citando Mateus 7:1-2, afirmando que Cristo proibiu qualquer julgamento. O que esses "eruditos" ignoram é que o Livro de Mateus e também o de Tiago foram escritos por dois judeus, para os judeus e que a nossa teologia é a do Apóstolo Paulo, a quem Jesus entregou os gentios. Paulo nos dá o direito de julgar, conforme lemos em algumas passagens de suas cartas (por exemplo, na 1 Coríntios 2: 14-15; 11:13-a, etc.), proibindo apenas que se julgue um irmão por causa da comida ou bebida, segundo Romanos 14. Na Carta aos Gálatas, Paulo condena veementemente o falso evangelho. Na 2 Timóteo, Paulo promove os que se alistam para a guerra contra as heresias, e assim por diante.
Quando um desses "defensores da verdade" me escreve, leio a primeira mensagem, deleto o nome do gajo e coloco o seu e-mail na "lixeira", de modo que os e-mails seguintes já caem no "seu próprio lugar", exatamente como Judas foi para o dele.
Há muitos anos, um católico tentou me refutar, após ter lido um texto meu, no qual eu dizia que a sua "Virgem Santíssima" foi uma mulher comum e não tem poder algum para escutar as orações de milhões de católicos, no mundo inteiro, ao mesmo tempo, porque ela não é onipresente nem onisciente e, portanto, não pode escutar as preces dos seus devotos. Ele se apresentou com seis graus de mestrado e doutorado em Medicina, Literatura, Filosofia, Letras, Ciências Contábeis e Línguas. Só que, num e-mail de poucas linhas, ele cometeu exatamente seis crassos erros de Português. Devolvi o e-mail ao tal crítico, após ter grifado em vermelho os erros que ele cometeu, aconselhando-o, gentilmente, a fazer, também, um cursinho no Mobral.
Para ser um apologista bíblico o cristão precisa de algumas qualidades: 1) Coragem de fazer inimigos; 2) Conhecimento do assunto em questão; 3) Conhecimento bíblico; 4) Conhecimento de sua língua e ,pelo menos noção da língua em que o texto foi escrito. No meu caso, convivi com o catolicismo alguns anos de minha vida (infância e adolescência) e conheço bem a Meretriz Romana. Sempre gostei de ler, pesquisar e escrever sobre assuntos apologéticos.
posso opinar sobre a Meretriz Romana, sem temer os comentários dos seus membros e dos simpatizantes "evangélicos" desta organização política e religiosa.

Gabriel Felipe disse...

CONTINUAÇÃO...

Os católicos que criticam os artigos deste blog não sabem distinguir entre a sabedoria de Deus (adquirida exclusivamente no estudo da Bíblia) e a sabedoria do mundo (adquirida em organizações seculares e religiosas). Quem não conhece as profundezas da sabedoria divina pode se empolgar com a sabedoria do mundo, a qual, segundo Paulo, é loucura para Deus (1 Coríntios 1:18-21), enquanto a sabedoria divina foi dada àqueles que amam a Deus (1 Coríntios 2:9).
Em Romanos 8, temos uma visão geral do eterno plano da salvação e no verso 28, de como Deus predestinou, chamou justificou e glorificou os Seus escolhidos: "E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito". Porque os que dantes conheceu também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos. E aos que predestinou a estes também chamou; e aos que chamou a estes também justificou; e aos que justificou a estes também glorificou" (Romanos 8:28-30). Eu me considero um "vocacionado", sem mérito algum, simplesmente pela misericórdia divina, pois sou devedor.
Quem tem uma relação de amor com Deus e conhece bem a Teologia de Paulo não teme as críticas e até as aproveita para crescer na graça e no conhecimento de Cristo, escrevendo algum texto para ajudar a pessoa que o criticou. Agradeço, penhoradamente, aos meus críticos inteligentes. Mas, quanto aos papistas tolos, que me enviam críticas grosseiras, sem jamais respaldá-las conforme a Palavra de Deus, apenas defendendo os dogmas fraudulentos da sua "igreja", só posso enviar aquela frase de Cristo, usada contra Pedro, quando este tentava deter a Sua obra na Cruz: "Vade retro!".